terça-feira, 27 de maio de 2008

Encontrar o seu palhaço ...


Assim, o pior é sempre começar, pelo menos sempre foi o mais difícil pra mim. E não se trata só de escrever, por mais que eu ache ruim escrever as primeiras palavras e introduzir um pensamento, eu estou falando da dificuldade do começo de ser palhaço. O famoso “encontrar o seu palhaço”, que os mais experyentes do Y sempre diziam que viria com o tempo, aos poucos, naturalmente. Está certo então.. estou esperando! E é aí q está o problema: fiquei esperando, esperando chegar alguma coisa que não ia chegar nunca... sempre esteve lá, só que eu não olhava pro lugar certo. Não ousava, não tentava, não experimentava. Sei que já faz um tempo que estou visitando e algumas visitas foram muuuito boas.. que eu saía do hospital meu pensamento continuava lá e minha vontade era visitar todos os dias se pudesse! Outras que começavam não muito boas, mas tinham momentos simplesmente mágicos que fazia tudo valer a pena. Agora tiveram aquelas que foram mesmo ruins. Ruim só pra mim.. era eu que não me sentia bem ali. Não que a visita não tivesse sido legal, pelo contrário, as crianças se divertiam horrores. Os outros palhaços.. nooossa são muito bons! E é aí q dá vergonha sabe? Daqueles que são mais antigos e conseguem fazer um espetáculo ali do seu lado. Ora.. pras crianças não faz muita diferença eu estar ali.. eles são tão ótimos, tão divertidos que até eu me acabo de rir deles.. eles bastam. Mas aí tem a criança... ow a criança.. pense num bicho esperto, que tanto sabe! Ela consegue fazer você se tornar engraçado. Ela simplesmente ri de ti. De ínicio, é só ver aquela figura tronxa e toda pintada que você é. E aí, muitas vezes, basta você sorrir que ela sorri. Então, você se assusta: “mas é assim?” E ela ri do seu susto. E você ri dela e quando vê já começou a conversar com ela sem nem precisar falar nada. Certo, mas aí.. cheguei na criança.. e agora? Faço o que? Será que eu sei GAG´s suficientes? Será que vou saber fazer? Aí vem esse bicho esperto chamado criança de novo, que por natureza tem o rosto mais pidão que você pode imaginar.. exatamente ..pidão.. pedindo atenção, pedindo carinho, pedindo alegria. Então,lá de dentro de você sai a alegria. Sai uma alegria que contagia. Quando vejo estou sendo espontânea, falando com a criança como se não fosse criança.. lembre-se que ela é a esperta da situação. Falar com ela sabendo que preciso dela.. daquele sorriso, daquela alegria que só ela pode trazer. E eu achando que eu ia trazer alguma coisa pra dar. São elas que trazem pra mim.. trazem à tona o que eu tenho de melhor. Posso ser espontânea, rir, chorar (de mentirinha), implicar (é tão legal), rir (é de novo.. é tão bom), falar, falar bem muito, ou só olhar, admirar, interagir com um sorriso, me apresentar, conhecer, descobrir... descobrir a criança, a mãezinha, me descobrir. Posso ser eu mesma! Certo mas o q será isso? As pessoas gostam de falar: ”ser eu mesmo” e o que é isso? Pois é, não sei! Mas as crianças devem saber...são elas que fazem isso de mim. E assim eu vejo que todo o tempo que eu procurava me tornar um palhaço, esse personagem, personagem que seria só meu, eu esquecia que justamente por ser só meu era eu.. o tempo todo.. estava lá, escondidinho só eu que não via, porque as crianças.. ah essas são muito espertas.. estavam vendo o tempo todo!!

Dra. Estrelinha


5 comentários:

... de RISO, SORRISO E SAÚDE disse...

Postando esse texto pela JanYne!

A corramarlinda do mundo ... fiquei arrepiada ! Mto bom ter vivenciado e acompanhado essa sua evolução ... essa sua "construção" em uma paYaça tão lYnda ! obrigada pela oportunidade de compartilhar ao seu lado nas vysytas esse constante exercício de crescYmento e amadureCYmento como dra. palhaça e sobretudo como ser humano ! q deus continue iluminando sua estrelinha que já é tão brilhante e iluminante!
um comprYmidim bem apertado !

Gaby
Dra. Marmota

mya disse...

E outro? será que tu agüenta? Tá...melhor eu dar um comprymidim mais leve, que se não corre o risco de ter até um "Big-Bang" dessa Estrelynha. hihihi...fico mt feliz por vc se sentir assim Janyne...é como o Macedo disse mesmo no seu ultimo e-mail...antes mesmo de entrar no Y vc sempre teve esse...bom...esse tal Y aí dentro de vc.

;***

Daniel disse...

Batata-frita= Y

Piada interna, mas eu amo batata-frita!

Muito bom! Essa visita foi no ICC né? Parabens Janine!

Bjo na Gabyzinha que eu amo!

Carla Oliveira disse...

ninudinha que eu amooooooooooo

q bom, q bom, mil vezes q bom
por ti e pelas crianças

Beijao

P.S.: Ve se toma vergonha na cara e decora o login e a senha viu???

Allan disse...

PQP - pense que puxa! Eu tenho um verdadeiro abuso dessas pessoas que não querem falar nada do que sentem no Y, porque eu vejo nos olhos delas que elas não falam porque é tanta coisa, tanta poesia, tanta odisséia, que têm receio de engarrafar esses espíritos todos nas garrafinhas das letras e tirar a leveza deles. Mas carregar esses espíritos dentro de si, deixa a gente com uma pesada leveza que quer ser descarregada pro mundo vê. Temos a obrigação moral de apresentar esses espíritos pro mundo.